Tabaco

Compartilhe:

Tabaco é o nome que se dá as folhas secas da planta do gênero Nicotiana. A forma de uso mais comum do tabaco é o cigarro. A produção industrial do cigarro utiliza vários processos químicos e a adição de inúmeras substâncias tóxicas.  A fumaça contém mais de 5000 substancias diferentes. As mais conhecidas são a nicotina, o monóxido de carbono e o alcatrão.

 

Quais os riscos do uso do tabaco? 

 

O uso do tabaco pode causar mais de uma centena de graves danos à saúde. A aspiração da fumaça do cigarro faz com que inúmeras substâncias toxicas entrem em contato com os pulmões e sejam levadas à corrente sanguínea.  

tabagismo é a primeira causa de morte evitável e é o fator de risco para 6 das 8 principais causas de morte no mundo.

Sabe-se que o tabagismo é responsável por:

  • 365 mortes por dia no Brasil e 130 mil/ano
  • 7,6 milhões de óbitos por câncer no mundo
  • Redução da expectativa de vida: 11 anos em homens e 12 anos em mulheres
  • 3 x mais chance de risco de morte. Na faixa de 25 a 79 anos de idade, cerca de 60% de todas as mortes são causadas pelo cigarro
  • 1 a cada 5 mortes prematuras de doenças do coração e ciculatórias.

Essas mortes acontecem pois o hábito de fumar está associado a:

  • 23 vezes mais chance de desenvolver câncer de pulmão em homens e 13 vezes mais em mulheres. 90% dos casos de câncer de pulmão estão relacionados ao tabagismo. Além do aumento do risco de outros tipos de câncer como leucemia mielóide aguda, câncer de bexiga, câncer de pâncreas, câncer de fígado, câncer de colo de útero, câncer de esôfago, câncer nos rins, câncer de laringe (cordas vocais), câncer na boca e câncer de estômago.
  • 75% dos casos de bronquite crônica e enfisema pulmonar, além de outras doenças respiratórias.
  • 25% dos casos de isquemia, sendo que o risco de desenvolver doenças pulmonares obstrutivo-crônicas nas mulheres que fumam é 22 vezes mais alto e nos homens é 25 vezes mais.
  • 2 a 4 vezes mais chance do desenvolvimento de doença coronária e acidente vascular cerebral em 2 a 4 vezes.
  • 85% maior a incidência de impotência sexual em fumantes do que não fumantes homens. Nas mulheres aumenta-se o risco de infertilidade.
  • Hipertensão arterial
  • Aneurismas arteriais
  • Úlcera do aparelho digestivo
  • Infecções respiratórias
  • Trombose vascular
  • Osteoporose
  • Catarata;
  • Menopausa precoce
  • Complicações na gravidez;

Além disso, muitas das substâncias usadas no cigarro apresentam grande risco para a saúde:

Amônia

Usada em produtos para desinfetar banheiros.

Acetona

Usada para remover esmaltes e tintas

Arsênico

Inseticida, também venenoso para seres humanos

Cianeto

Veneno usado em câmaras de gás durante a Segunda Guerra Mundial

Tolueno

Solvente industrial

Butano

Usado como gás de isqueiro

DDT

Inseticida

Cadmium

Usado em baterias de carro

Além dos prejuízos à própria saúde, o fumante ainda prejudica quem está do lado (tabagista passivo). O tabagista passivo fica exposto à poluição do ambiente causada pelo fumo, e aumenta em:

 

  • 15 a 30% o risco de câncer de pulmão
  • 20 a 24% o risco de infarto do miocárdio
  • 25% o risco de acidente vascular cerebral

As crianças que convivem com fumantes têm maior risco de apresentar infecções respiratórias e asma brônquica e de morrer em consequência das mesmas.

 

Quais os efeitos?

 Após uma tragada no cigarro, a nicotina é absorvida pelos pulmões chegando ao cérebro em aproximadamente 9 segundos. A nicotina é uma substancia psicoativa e, portanto, sua ingestão provoca estimulação cerebral, podendo melhorar a capacidade de atenção, raciocínio e memória. Além disso, imediatamente após o uso pode ocorrer o relaxamento muscular, aumento da sensação de bem-estar e a diminuição de estados de ansiedade.

 

Referências Bibliográficas

WHO. World Health Statistics 2008. World Health Organization 2008

Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Instituto Nacional de Câncer - INCA. Estimativas da Incidência e Mortalidade por Câncer. Rio de Janeiro: INCA, 2002.

Doll, R. & Peto,R.; Wheatley K, et al. Mortality in relation to smoking: 40 years’observations on male. British Doctors. BMJ, 309: 301-310, 1994.

Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Instituto Nacional de Câncer - INCA, Falando sobre Tabagismo. 3ª edição, 1998.

U.S. Department of Health and Human Services. The health consequences smoking: a report of the Surgeon General. Washington DC; U.S. Government Printing Office, 2004.

Drogas : cartilha sobre tabaco / Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. - Brasília : Presidência da República, Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, 2010.